É uma teoria em que muitas ferramentas de análise de perfil se baseiam, usando as letras D para dominância, I para influência, S para estabilidade e C para conformidade, sendo provavelmente, a mais utilizada em empresas, em todo o mundo.

As utilizações podem ser várias, desde o uso para processos de seleção até programas de treinamento e coaching.

O advogado e psicólogo William Moulton Marston e os relatórios da teoria DISC se misturam, uma vez que os relatórios DISC, se baseiam ou deveriam se basear, 100% na sua obra.

Ele é o autor do livro “As Emoções das Pessoas Normais”, publicado originalmente em 1928 e recentemente em português, que trata destas 4 dimensões do comportamento.

Não foi Marston quem criou o instrumento de análise de perfil comportamental DISC, ele apenas escreveu um livro que inclusive não se tornou popular na época e até hoje, por falar de pessoas normais e não doentes.

Marston faleceu em 1947 e o primeiro instrumento de que se tem notícia foi criado nos anos 50 por Walter Clarke, logo não há como Marston ter criado algum instrumento de análise de perfil comportamental com o nome DISC; isto foi feito por outra pessoa, após o falecimento de Marston.

Após a criação de Walter Clarke, pessoas que trabalhavam com ele seguiram carreira solo desenvolvendo e propagando seus próprios instrumentos.

Instrumentos da teoria DISC podem, com certeza, ser vistos como o primeiro degrau, o passo fundamental para profissionais que querem usar ferramentas modernas nas áreas de identificação e desenvolvimento de talentos. Eles são a porta de entrada para o entendimento do outro, mas é claro, dentro do outro há muito mais do que a porta pode mostrar.

× Como podemos te ajudar?